Textos,  Uncategorized

Throwback

Dizia-me o Facebook logo pela manhã: “Hoje tens memórias para recordar”…

Ele já faz isso muitas vezes desde que esta funcionalidade foi instalada e eu já partilhei várias vezes essas memórias, mas as de hoje têm um sabor especial… A verdade é que eu nem precisava deste lembrete para recordar o que aconteceu de marcante no passado, mas o Facebook brindou-me com fotos e comentários que me deixaram um sorriso nos lábios e eu agradeço por isso…

Faz hoje precisamente quatro anos que apresentei o meu primeiro livro, Recomeço. Foi um dos dias mais importantes da minha vida e recordo-me de coração cheio de todos os que estiveram presentes naquele momento e de todas as mensagens de apoio que recebi. Não foi o inicio de um sonho, porque na realidade esse inicio deu-se quando eu comecei a escrever o Recomeço, mas foi o ultrapassar da linha que separava o sonho da realidade. O projeto, do concreto… Foi o lançamento da primeira pedra na construção da minha carreira como escritora.

assinar

Numa dessas memórias, encontrei a publicação onde o jornalista Mário Augusto, que escreveu o prefácio do meu livro, falava sobre mim e sobre os acontecimentos daquele dia… Mais uma vez, foi com um sorriso nos lábios que voltei a ler as palavras dele e deixo agora aqui um pequeno excerto:

“Esta menina da foto é a Filipa Marques, tem 20 anos, estuda medicina dentária e a partir de hoje pode dizer que é um jovem escritora. Ela lançou esta tarde o seu primeiro livro, “Recomeço”. É uma fantasia escrita com o prazer de contar histórias. Como primeira obra, ele tem os pecados da primeira experiencia que se faz de vontade genuína numa escrita juvenil, solta e pictográfica. Diria que é um começo auspicioso por um “Recomeço” de leitura breve. Tive o prazer de ler antes de quase todos porque me foi pedido um prefácio. Não podia dizer que não porque acho que o entusiasmo juvenil e a vontade de fazer coisas merece apoio. Neste tempo em que a portas se trancam aos jovens, quem está instalado na vida profissional e é reconhecido por isso tem a obrigação de acarinhar e ajudar os mais jovens neste tempo de desilusões. Confesso que me desdobro no apoio a jovens com vontade, os que revelam imaginação e trabalho de escrita porque tenho mais respeito por quem se aventura. A Filipa mereceu todas as letras que lhe escrevi nas primeiras paginas deste seu “Recomeço”.
Espero que seja o principio de tudo porque ela tem tudo para continuar nessa sua escrita jovem e imaginativa.”

eu e mário

Quatro anos depois, a menina que eu era naquela tarde cresceu, a estudante de medicina dentária virou médica dentista e a escrita… Essa continua bem presente na minha vida.

Acima de tudo, continuo a escrever por paixão! Não por ser fácil, porque a verdade é que não o é, mas porque faz parte de quem eu sou e já não me imagino a não escrever. Exige tempo, dedicação e empenho. Nem sempre é fácil para mim conciliar tudo de forma a conseguir juntar estes três factores, mas acho que o segredo é realmente gostar do que faço… Criar histórias, dar vida a personagens, cativar quem lê e transmitir sentimentos ao longo de cada linha é algo que eu adoro fazer e sempre ouvi dizer que quem corre por gosto não cansa! 🙂

grupo

Gosto de pensar que já melhorei alguns daqueles “pecados de primeira experiência”, mas sei existe ainda muito a melhorar… Sempre existe algo que conseguimos melhorar, não é verdade? É para isso que trabalho cada dia, para ser cada vez melhor… 🙂

Hoje, por uns breves minutos, retrocedi no tempo e voltei a sentir a mesma alegria que senti naquele dia… Senti-me como uma criança numa noite de Natal com aquela alegria e nervosismo de antecipação minutos antes de abrir os presentes… Não foi no dia de Natal, mas para mim foi como se fosse e foi muito bom recordar…

E como recordar é viver, decidi partilhar aqui um pouco do que senti…

Beijinhos

Filipa Marques

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *