Em Português,  Livros

| O Príncipe da Suécia | Karina Halle – Opinião Literária

Maggie era apenas mais uma jovem universitária até que o seu mundo desmoronou. Quando ela se encontra com um cliente do hotel onde trabalha, estava longe de imaginar que seria ao lado dele que a sua vida iria virar de novo de pernas para o ar. Ela também estava longe de saber que ele era o Príncipe da Suécia…

O Príncipe da Suécia

 

Título Original: The Swedish Prince

Autora: Karina Halle

Data de publicação:  janeiro.2019

Páginas: 464

Editora: Quinta Essência

ISBN: 978-989-780-056-6

Onde comprar: WOOK | LeyaOnline

Sinopse
Maggie é uma empregada de hotel sem grandes ambições…
“Nunca acreditei em contos de fadas, nem em Príncipes Encantados. Sonhava ser uma jornalista de sucesso. Mas bastou um telefonema para que tudo desabasse. Com a morte inesperada dos meus pais, passei de estudante despreocupada a guardiã dos meus cinco – sim, cinco! – irmãos. Quando o acaso me levou ao encontro de Viktor, sentia-me demasiado sobrecarregada para acreditar no amor… ainda que o enigmático Viktor fosse de uma beleza quase obscena.”
Viktor é… Sua Alteza Real, Príncipe da Suécia…
“Também eu sofri uma grande perda. Após a morte do meu irmão, só queria fugir. Assustava-me pensar que em breve deixaria de ser livre e que a minha vida passaria a ser controlada a cada minuto. Sabia-me bem estar perdido no meio de uma vila da Califórnia, ser apenas mais uma pessoa anónima… e depois o meu caminho cruzou-se com o de Maggie. A doce, amável e linda Maggie…”
Nenhum dos dois contava apaixonar-se. Nenhum dos dois imaginava que a sua vida ficaria virada do avesso.
Mas a relação tem os dias contados. E a verdade é que os finais felizes só acontecem nos contos de fadas… não é?
Texto retirado do site da editora Leya, disponível neste link.
Opinião

O Príncipe da Suécia é um livro que está dividido em duas partes. Uma que se passa maioritariamente nos EUA e outra passada maioritariamente na Suécia. Achei que na primeira parte tudo se desenvolveu numa velocidade enorme. Entre explicações sobre o passado de cada um dos personagens e o momento em que eles se apaixonam as coisas são um pouco apressadas.

Gostei imenso do irmão mais novo da Maggie, Callum, um miúdo sem filtros e muito divertido. Já a irmã April, pareceu-me um pouco egoísta com toda a sua atitude rude de menina rebelde que não quer saber de nada nem de ninguém. Estar a sofrer não é suficiente para agir como se os outros não estivessem a sofrer também. Ela dificultou, deliberadamente, a vida à irmã apenas porque não queria que ela agisse como mãe.

Ambos os personagens principais têm problemas, familiares e pessoais, e gostei de os ver ultrapassar esses e demónios internos juntos. No entanto, senti que a história deles podia ter sido muito mais cativante. Ainda assim, o virar a página na vida de cada um dos personagens para um futuro mais risonho foi uma boa conclusão para este romance.

*******

Podem ler mais das minhas opiniões literárias clicando neste link.

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *