devo-te a felicidade
Em Português,  Livros

| Devo-te a Felicidade | Sophie Kinsella – Opinião

Em Devo-te a Felicidade, o que começa com uma simples dívida comum, acaba por se transforma em algo mais intenso, mas será o amor capaz de se sobrepor a todas as dividas que entretanto surgem?

Devo-te a Felicidade

 

Título Original: I Owe One

Autor: Sophie Kinsella

Data de Publicação: julho de 2019

Páginas: 341

Editora: Quinta Essência

ISBN: 978-989-780-162-4

Onde comprar: | WOOK |

Sinopse
Fixie Farr tem uma compulsão terrível: a de arranjar tudo… Seja a endireitar de um quadro, tratar de uma nódoa quase invisível ou auxiliar um amigo em apuros, ela é simplesmente incapaz de não agir. O mesmo se aplica ao negócio de família que gere com os irmãos, ainda que, em segredo, sinta por vezes que tudo recai sobre si.
E quando um belo desconhecido lhe pede para ela olhar um instante pelo seu computador portátil, não é de admirar que ela diga que sim. Agradecido, Sebastian acaba por lhe rabiscar uma nota de dívida (que, evidentemente, ela não irá cobrar).
Ou será que vai?
É que Ryan, por quem Fixie tem um fraquinho, precisa de ajuda. E quem melhor do que Sebastian para o ajudar? Só que agora é ela que tem uma dívida para com ele e Fixie não está habituada a ver-se nessa situação. Após uma sucessão de notas de dívida, de favores insignificantes e ajudas preciosas… Fixie depressa dá por si dividida entre o passado confortável e o futuro que julga merecer.
Terá ela coragem de “dar um jeito” à sua própria vida e lutar por aquilo que verdadeiramente quer?
Texto retirado do site da editora, disponível a partir deste link!
Opinião

Fixie… no início deste livro, quando estavam a apresentar a família da nossa heroína, pensei: “meu Deus! Isto é surreal!” Mas depois lembrei-me que não… Na vida real existem mesmo famílias que se apoiam todas numa única pessoa. Esta é apenas uma história fictícia, mas podia bem ser real…

Ao longo da leitura, a história parece que nos quer fazer crer que a nossa heroína é uma mulher fraca e incapaz de fazer o seu ponto de vista prevalecer quando é realmente necessário. Mas a verdade é que ela é a única capaz de continuar a remar em frente quando todos os outros se dispersam nos sues próprios mundos.

Inicialmente achei muito giro quando começaram a escrever as suas dívidas no pequeno cartão da cafetaria, mas com o tempo isso começou a ser um pouco excessivo, na minha opinião… Fiquei com a mesma sensação que a Fixie… Parecia que tudo acontecia por causa de dívidas que tinha de ser pagas e não por existirem sentimentos reais envolvidos.

Aquele Ryan saiu-me cá uma sanguessuga! Não gostei nada do personagem dele, sempre debruçado na família da Fixie e a fazer asneiras sem se importar com mais nada para além do seu umbigo.

Fixie é uma mulher adorável que vai ter de aprender a mostrar as suas garras  para defender tudo aquilo que mais ama. Resolver problemas é o seu talento e tem sido sempre capaz de o fazer ao longo da sua vida, mas estes problemas são mais sérios e por isso ela tem de se superar a si própria para os solucionar!

***

Esta é uma leitura suave, com algumas partes bem divertidas e outras que nos deixam o coração apertado… A Sophie Kinsella é uma autora que me habituei a ler desde que li o seu livro “Doida por Compras”. Ela não é uma das minha autoras favoritas, mas gosto de ler os seus livros de cada vez que sai um novo… Percebem o que quero dizer? São sempre livros com toques divertidos e suaves que nos fazem passar um bom tempo entre as suas páginas…

***

Podem ler outra opinião que fiz sobre o livro “A Minha Vida (Im)Perfeita” da mesma autora, clicando neste link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *