Em Português,  Livros

| A Magia de Um Abraço | Mary Balogh – Opinião

A Magia de Um Abraço transformou-se, rapidamente, no meu favorito desta série! Adorei este livro e recomendo a sua leitura!

A Magia de Um Abraço

Título Original: Someone to Hold

Autora: Mary Balogh

Série: Série Westcott

Data de Publicação: maio de 2018

Volume: II

Páginas: 352

Editora: ASA

ISBN: 978-989-23-4231-3

Onde comprar: WOOK | LeyaOnline

Sinopse

A morte de Humphrey Westcott, conde de Riverdale, desencadeia um escândalo na sociedade londrina. Entre as pessoas afetadas está a filha, Camille Westcott, que se vê subitamente sem título nobiliárquico.
Humilhada, Camille decide cortar amarras com o passado e abandona Londres. O seu plano: dar aulas no orfanato onde cresceu a sua recém-descoberta meia-irmã. É lá que Camille conhece Joel Cunningham, professor de Arte para quem vai ter de posar a mando da avó. A animosidade que sente pelo pintor é evidente…
…e totalmente partilhada pelo próprio. Joel foi criado no orfanato e vê nos modos de Camille uma arrogância enervante e despropositada. Mas à medida que o tempo passa, a aversão que sentem um pelo outro vai transformar-se… num elo que acabará por ser a salvação de ambos.
O volume dois da série Westcott fala-nos de novas oportunidades, de autodescoberta, de redenção… e, claro, de amor!

Texto retirado da página da editora LeyaOnline, disponível neste link.

Opinião

Ao contrário do que aconteceu com o livro O Poder do Amor, com A Magia de Um Abraço criei uma empatia desde a primeira página!

***

Camille, a personagem que eu tinha praticamente detestado no primeiro livro, mostrou ser digna do meu afeto. 🙂 Já vos aconteceu isto? Detestarem um personagem num livro e no seguinte passarem a gostar? Acho que foi a primeira vez que aconteceu comigo… Acabei por dar por mim a criticar todos os outros personagens por não lhe darem a ela o tempo e o espaço de que ela precisava e por a estarem sempre a pressionar. Não final, ela mostrou ser apenas uma mulher magoada pela vida… Ela estava magoada pelo pai fez, estava magoada pela vida que perdeu, estava também magoada pelo noivo que a abandonou.

Joel, um personagem que eu acho que ganhou um novo ar neste livro, mostrou ser o que Camille precisava, mesmo quando ela não aceitava que precisava de algo. Por sua vez, também ela veio colmatar um gigante buraco que existia dentro do Joel. De uma forma quase intuitiva, ambos se perceberam e complementaram nas suas falhas e nas suas qualidades de uma forma tão bonita, que foi impossível para mim não adorar este casal!

Adorei que a Camille tivesse sido bem sucedida na sua profissão de educadora de pequenos órfãos! Ela merecia isso! Ser bem sucedida! Mesmo quando ela própria não acreditava ser capaz de o fazer…

Finalmente o Joel encontrou as suas raizes e foi no braço de Camille que ele encontrou o apoio que precisou para o que descobriu… Confesso que quando a Anna se apercebeu disso, não pude deixar de pensar “Bem feito para ti!”… Na minha opinião, a amizade deles, todas aquelas cartas que ela lhe enviava deixavam-no preso a ela e não o permitiam evoluir e constituir a sua própria vida… Achei um pouco egoísta da parte da arte da Anne.

***

Este livro transformou-se, facilmente, no meu favorito desta série e estou muito contente por ter realizado a sua leitura! As suas personagens são intensas e emotivas e prendem-nos à sua história!

*******

Podem ler as minhas opiniões a outros livros desta autora clicando neste link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *