Em Português,  Livros,  Romances de Época

| A Virtude do Prazer | Mary Balogh – Opinião

A Virtude do Prazer apresenta a história de Violet, aquela que conhecemos como a mãe de Camille, Abby e Harry, viúva do conde de Riverdale.

A Virtude do Prazer

Título Original: Someone to Care

Autora: Mary Balogh

Série: Série Westcott

Data de Publicação: março de 2020

Volume: IV

Páginas: 336

Editora: ASA

ISBN: 978-989-23-4102-6

Onde comprar: WOOK | LeyaOnline

Sinopse
Dois anos após a morte do conde de Riverdale, a família ainda se encontra no rescaldo do tremendo escândalo que se seguiu: a descoberta de que o conde já era casado, e a subsequente perda dos seus títulos e bens. Mas a viúva Violet Westcott tem conseguido (aparentemente) manter a calma e a dignidade. Isto, até ao momento em que foge inesperadamente e desaparece sem deixar rasto.
É que, ao pernoitar numa pequena vila, o caminho de Violet cruza-se com o de Marcel Lamarr, marquês de Dorchester. O famoso libertino seduzira-a no passado e não mais lhe saíra da memória… Para ele, Violet está ainda mais irresistível do que nunca… Porque não cometerem uma loucura e… fugirem juntos?!
Mas ambos vão perceber que as loucuras têm consequências, e não apenas para eles próprios.
Conseguirão eles pôr um fim a esta “brincadeira” sem magoar ninguém?
Texto extraído do site da editora Leya Online, disponível neste link.
Opinião

Confesso que queria meeeeessssssmmmmmooooooo muito gostar deste livro… Li os três primeiros e simpatizei com a história desta família, embora não me tenha tornado a fã número um daquele primeiro volume.

A Virtude do Prazer é um tipo de romance de época diferente daqueles que costumo ler. Aqui, a história desenrola-se, não à volta de uma jovem inocente, mas de uma mulher, adulta e viúva. Ele, por sua vez, também viúvo, é alguém que o passado lhe apresentou num momento menos oportuno e que agora, anos mais tarde, volta para uma espécie de segunda oportunidade.

Esta premissa tinha tudo para dar certo, não fosse a minha opinião sobre os seus personagens principais… Violet é uma mulher que sofreu uma humilhação pública, eu compreendo isso! Mas a verdade é que isso não lhe dá grande direito de agir de forma tão egoísta como agiu. Acho que esta é, sinceramente, a maior característica desta personagem. Esta animosidade não é apenas deste livro… Na verdade, ela já começou nos volumes anteriores, mas, à semelhança do que aconteceu com a Camille, tinha esperança de vir a gostar desta personagem também com a leitura da sua história. Infelizmente, isso não aconteceu…

***

Infelizmente também não me liguei com a personagem de Marcel. Ele foi um pai negligente desde quase o nascimento dos filhos. A mulher morreu e ele esqueceu-se que tinha filhos?! É muito simples despachar os filhos com um ano de idade para que outras pessoas os criem e aparecer de fugida uma ou outra vez por ano… Não gostei que ele tivesse feito isso… Acho, muito sinceramente, que ele se escondeu por baixo das saias do sentimento de culpa para justificar a sua cobardia e negligência para com aqueles que precisavam de si. Apesar de tudo, e de eu achar que ele não merecia, ele ainda tinha filhos adoráveis e que o amavam…

***

Mesmo não simpatizando com os personagens, podia sentir alguma ligação com a história, mas a verdade é que isso não aconteceu… Acho que faltou união, ligação entre Violet e o Marcel. Eles cruzaram-se no passado, ok, mas não passou de uma leve troca de palavras… Nada que justificasse esta ligação. Na verdade, a aproximação dele pareceu-me mais uma reação com base no seu orgulho ferido (já que ela tinha sido a única a recusá-lo no passado), do que de amor…

Lá para o final, acaba por melhorar um bocadinho, apenas pelo facto de os gémeos, filhos do Marcel, tomarem um papel mais ativo na história… Eles são, sem dúvida, os meus personagens favoritos deste livro, em especial a filha.

Este foi um livro cuja leitura não senti que corria de forma fluída, como de costume… Na verdade, tive de fazer algum esforço para a acabar… Dos quatro já lidos desta série, este é, sem dúvida alguma, aquele que eu menos gosto…

*******

As minhas opiniões aos restantes livros da série Westcott:

Primeiro livro: O Poder do Amor

Segundo livro: A Magia de Um Abraço

Terceiro livro: A Tentação do Casamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *